ENTRE A ALEGRIA E O DESESPERO: Os estados de ânimo

  O que são os estados de ânimo? (EA). Como se originam? De que maneira podemos regular e superar os estados negativos? Que critérios nos permitem determinar o caráter sintomático de um EA? Estas são algumas questões que se abordam neste livro.  
  É o clima afetivo, vivencial, subjetivo, dominante num determinado lapso de tempo, através do qual sentimos e enxergamos o mundo. Um estado de ânimo muito diferentes, como a ansiedade e o contentamento podem durar alguns minutos ou ser a atmosfera predominante de uma pessoa durante meses e anos.
  Este é um tema ainda mal estudado pelos psicólogos; tanto é assim que não existe nenhum livro em português, e tampouco em espanhol, que enfoque este tipo de vivências, tão importantes para  nosso bem-estar psicológico. Este é o primeiro livro que se publica em línguas latinas. Em língua inglesa apenas existe um autor que tem pesquisado os EA, mas desde uma perspectiva eminentemente prática, mais interessado em como mudar os estado negativos, como é a depressão e a angústia, que são as dois estados melhor conhecidos que mais afetam os seres humanos.
  Emílio Romero apresenta toda uma teoria dos estados de ânimo, caracterizando 12 destes climas afetivos segundo uma concepção  bidimensional, que permitem caracterizar quatro eixos nos quais são distinguíveis três EA bem definidos. Uma vez  desenhado o modelo psicológico passa ao segundo passo que consiste em descrever em termos fenomenológicos os EA já identificados.
  O interessante desta concepção é que cada eixo permite estabelecer uma escada gradual de estados que vão acentuando o fator comum a todos os três estados que estão nesse eixo. Deste modo no eixo do abatimento são claramente diferenciáveis o desânimo, a tristeza e a depressão propriamente. O fato de estar abatido não implica passar necessariamente ao estágio seguinte; pode acontecer se a situação e as circunstâncias pressionam nesse sentido. Algo similar acontece com os outros eixos das respectivas dimensões.
  O terceiro passo é dado pelo autor ao mostrar que no extremo dos 4 eixos, ou pólos, surge o que podemos qualificar como a feição sintomática de um EA. Seguindo o exemplo dado, no extremo do abatimento está a depressão, dando-se nela igualmente uma fase suave, média e grave; a fase média e grave  já apresentam um caráter sintomático.
O quarto passo corresponde aos fatores  que originam ou simplesmente favorecem estes modos de sentir e perceber o mundo –e assim mesmo. Por fim, o autor nos indica as vias terapêuticas para supera os estado negativos e afirmar os positivos.

                   
Temário:


      -Orientação preliminar para o leitor exigente


 I.  Os fundamentos de uma teoria dos estados de ânimo

II. Entre a exaltação de si e o abatimento  

III. O eixo do abatimento: o desânimo, a tristeza e as formas da depressão 

IV   Entre a cordialidade convidativa e o desespero - As dimensões  tensão-relaxamento, ansiedade-tranqüilidade 

V.   O eixo da tensão e da ansiedade