JAN CASÁBIUS:

 

A ARTE DA CONVIVÊNCIA AMOROSA –Psicologia e tratamento dos conflitos familiares e conjugais

(200 pág. 21 X 14,5)

 

As relações afetivas são difíceis, seja no círculo familiar, seja na etapa do namoro e ainda mais no casamento. O livro destaca os aspectos mais problemáticos existentes nestas três áreas, indicando algumas formas para tornar estes relacionamento mais harmônicos, especialmente se o casal requer ajuda terapêutica.

 

Temário:

 

I. O questionamento da instituição família

1. Sexo, amor, vida conjugal, família

2. A desmistificação da família por via das ciências sociais e como conseqüência do questionamento geral das instituições.

3. Alguns marcos importantes na pesquisa da dinâmica familiar

4. O questionamento da família em sua expressão mais crítica: Cooper, Gaiarsa e Stacey

 

II.   Alguns enunciados que permitem compreender a dinâmica familiar e conjugal 

 

1. A família reflete a inter-conexão de três grandes fatores que nos permitem compreender suas mudanças e seus diversos tipos.

2. A condição sócio-econômica do grupo familiar se define em termos de situação estamentária (o estrato social)

3. A ideologia predominante no seio da família caracteriza as crenças e valores, os preconceitos e os mitos do grupo

4. Os reguladores centrais do sistema familiar são os pais

5. Algumas características do relacionamento conjugal (e familiar) dependem de um complexo de fatores que estruturam e mobilizam o grupo

6. No círculo familiar existe um clima predominante, embora seja variável

7. Existe uma primazia do fator afetivo-emocional na dinâmica do sistema em razão do caráter dos relacionamentos existentes neste tipo de grupo

8. O sistema familiar é um dos principais fatores determinantes na formação da personalidade, especialmente do caráter. Há também outros fatores

9. A qualidade e harmonia dos relacionamentos familiares dependem de toda uma  constelação de fatores.

 

III. A vida a dois e o as fontes do desentendimento amoroso e conjugal

l. Os motivos que levam ao casamento. O  sentido da proposta conjugal

2. Os conflitos e desentendimentos conjugais. Fatores que tornam problemático o R.C.

3. As  grandes áreas ou fontes do desentendimento amoroso e conjugal

4. Conflitos e desavenças por incompatibilidade de caráter e por problemas de personalidade

5. Área dos afetos e das motivações: estes são os dois fatores a ser cuidados

6. Os relacionamentos sexuais: não há apenas flores neste jardim

7. Área dos relacionamentos com os outros. As duas ameaças que espreitam ao casal: a infidelidade e a sogra (?)

8. O poder e das decisões: quem toma as decisões? Depende da situação e da área

9. A educação dos filhos. Os conflitos do casal se refletem nos filhos

10. As atividades dos parceiros. Benefícios e prejuízos do trabalho na vida do casal

11. Duas área a mais de menor freqüência: Desentendimentos por diferenças de idade e de cultura

 

IV. Psicoterapia de casais: Passos necessários para evitar o naufrágio  

 

1. Quando o casal procura ajuda terapêutica: quando o barco ameaça naufragar

2. Quando a psicoterapia do casal não é indicada

3. Quem procura ajuda? Ela ou ele? Os dois?

4. As queixas mais freqüentes formuladas por ela

5. As queixas mais freqüentes formuladas por ele

6. Em que áreas se centralizam as dificuldades segundo os depoimentos de cada um?

7. As entrevistas individuais: o que se pesquisa em cada um?

8. As sessões do casal: as sete áreas básicas a ser pesquisadas

9. As iniciativas  do terapeuta para facilitar o processo

    a) A auto-expressão

    b) Diálogo e reflexão precisam ir juntos

    c) A vontade de entendimento

    d) O atendimento das necessidades e demandas básicas

10. A questão da percepção do terapeuta por parte do casal: competência, confiança, neutralidade.

V. Teste sobre “Entendimento e Desentendimento na vida a dois”

Clique aqui para ver mais