Max Nolden – Emilio Romero

A TRAMA OCULTA DA REALIDADE HUMANA

(A ser lançado em breve - 260 páginas)

Um enfoque crítico da realidade humana segundo cinco filósofo contemporâneos

Tendemos a ter uma visão bastante ingênua da realidade humana. Tendemos a julgar a trama social segundo suas meras aparências. Aceitamos as crenças e valores, os mitos e preconceitos como verdades indiscutíveis sem compreender que ocultam a verdadeira trama das relações humanas, sobretudo no plano sócio-econômico.

Baseado em cinco filósofos, pesquisadores perspicazes da sociedade e do ser humano, os autores deste livro nos mostram como se configura a sociedade e quais são os processos que mobilizam o sistema social e aos indivíduos. Desde o século XIX alguns pensadores tem feito estudos profundos sobre nossa realidade humana.
Nietzsche, Marx, Kierkegaard, Sartre e Foucault nos mostram como são as coisas no mundo em que vivemos. No livro expõe-se os temas centrais dos respectivos filósofos, destacando suas teses vertebrais com clareza e competência.
O que nos ensinam pensadores tão contrapostos como Nietzsche  e Marx? Os dois propõem um novo tipo de sociedade, igualitária em Marx, oligárquica em Nietzsche, o qeu ficou destas duas propostas? Tudo indica que a sociedade atual corresponde em alto grau à sociedade descrita e antecipada por Nietzsche. 
Ao final o que eles ensinavam?
E Soren Kierkegaard, antecedentes importante do existencialismo tem alguma vigência hoje? Era um pastor luterano, que se confrontou com o clero de sua época e denunciou a seus colegas pastores, e também a comunidade religiosa, como pouco o nada cristãos, o que fica de  suas preocupações religiosas e filosóficas?
Jean Paul Sartre agitou o ambiente intelectual e marcou sua presença até os anos 80, inclusive propus um novo modelo de psicologia, o que fica de sua famosa fenomenologia compreensiva?  Tem atualmente alguma vigência? Até que ponto os psicólogos podem aplicar suas idéias no campo profissional?
Michel Foucault destacou o poder repressivo das instituições –o asilo, as prisões, em especial- e nos deu uma outra visão da sexualidade graças a suas pesquisas históricas.

 Livro incitante, especialmente na exposição feita por seus autores. Os cinco pensadores têm posições diferentes e até antagônicas em diversos pontos, mas apresentam uma atitude em comum: o repúdio ao sistema social dominante, considerando-o profundamente injusto, contrário ao desenvolvimento do espírito, da liberdade e do bem comum.

Temário:

I. O contexto sócio-cultural e sua influência na intenção geral de suas obras

1. Uma breve pincelada sobre a vida e obras de nossos heróis
2. O contexto sócio-cultural de Kierkegaard, Marx e Nietzsche –Séc. XIX
3. A influencia da filosofia positivista no âmbito do sabe
4. Filósofos e mestres: esta é uma diferença sustentável
5. A consciência da realidade e a conquista da liberdade
6. Semelhanças e diferenças
7. Influências e presença de suas obras no tempos atuais

II. Nietzsche, O voluntarismo radical e a subversão dos valores
1. Nietzsche crítico da cultura, a previsão do niilismo e seu ideal homérico
2. O pensamento nietzscheano como uma forma do voluntarismo radical
3. Duas denúncias nietzscheanas e seu efeito nos espíritos menos críticos
4. O filósofo do martelo e o caráter de sua subversão
5. A mensagem de Zaratustra, o profeta do futuro
6. Das três metamorfoses do espírito
7. Das cátedras da virtude. A virtude dadivosa
8. Até que ponto Nietzsche é um pensador existencial?
9. Até que ponto a sociedade capitalista globalizada é nietzsheana

III. O Pensamento de Marx
1. A importância de Marx e as objeções a sua influência
5. O que caracteriza o sistema capitalista?
6. As classes sociais e seus inevitáveis conflitos
7. As origens da alienação e sua relação com o trabalho
8. A justificação do sistema social e o papel da ideologia
9. Críticas à concepção marxiana da sociedade e dos processos históricos 

IV. Sören Kierkegaard

  1. Como compreender o mundo de um pensador religioso sendo um cidadão do século XXI

  2. Como a história pessoal se reflete na obra de seu autor

  3. Algumas ideias vertebrais do pensamento kierkegaardiano

V. Os fundamentos da fenomenologia compreensiva  de Jean Paul Sartre  
1. A figura humana e suas obras mais estacadas.
2. Algumas dificuldades preliminares
3. As características das existência
4. A origem da negação e a questão do nada
5. A consciência e o ser para-si
6. O ser-em-si           
7. A origem do nada,  o ser-para-si e a liberdade
8. O projeto existencial como síntese do que se pretende ser
9. A temporalidade
10. A angústia e a apreensão do nada
11. A má-fé: as manobras do auto-engano: o enganador-enganado
12. A facticidade, o dado e a situação
13. O conflito como fator inevitável das relações interpessoais
14. Ter e fazer: a possessão
15. Carência e desejo de ser
16. A qualidade como reveladora do ser: a psicanálise existencial
17. A modo de síntese
18. Observações críticas.
-Obras citadas e notas

VI. Michel Foucault  em três temas: loucura, poder, sexualidade
1. Introdução
2. História da loucura
3. As relações de poder 
4. História da sexualidade

 

der 
4. História da sexualidade

 

ml>